Introdução

De certo, é por via e por ora coragem demasiada ou por mera vergonha enrustida que nasceu este blog. De criação em prol de ditar, em texto ou palavras poéticas, verdades, dito como também observações, que devíamos observar com um gosto um pouco mais profundo. Boa leitura!

sexta-feira, 25 de março de 2016

O inferno dentro de nós

Eu conheci uma parte do inferno.
E foi tudo que me fez perder a razão.
E nunca adiantou dizer que não quero
Eu guardei bem fundo no meu coração

Um vulto negro e fulminante foi aspirado
Todas as lágrimas daquelas memórias
Perdi o chão, completamente desesperado
De nada adiantou pensar em glórias

E as correntes do passado me prendiam
Com a tonelada da solidão
Pássaros em gaiolas melhor viviam
Eu nunca pude confiar em uma mão.

E o ferimento estava enterrado
Como um vulcão adormecido
Tentativa frustrada de ter tudo apagado
O vulcão acordou e tudo foi destruído.

E numa tentativa de acabar com tudo
Eu vi tudo ficar vermelho
Perdendo as forças no futuro
Entrei num mundo de desespero.

E tentei acabar com tudo
Busquei a dor pra acabar com dor
Eu tentei dar adeus a este mundo
Contudo algo me transbordou

Acordei num lugar diferente
As coisas eram calmas como o paraíso
E foi tudo tão de repente
Eu pude ver o  seu corpo vivo

E agora olhando pro céu
Eu pude encontrar você de novo
Como um vegetativo réu
Esperando a punição do povo.

Eu recebi seu abraço
E senti seu calor novamente
E após o seu afago
Ouvi as suas palavras atentamente

Nenhum comentário:

Postar um comentário